Mulheres de Coragem – Outubro Rosa: Cristina Jatobá

Conheça a história da Cristina Jatobá, que participou da campanha Mulheres de Coragem, um depoimento emocionante para mostrar a necessidade e importância do diagnóstico precoce.

Mulheres de Coragem: agora é a vez da Cristina Jatobá, 51 anos, nos mostrar como o vencer a batalha contra câncer de mama pode nos tornar uma pessoa melhor. 

Tudo que você precisa saber sobre o vírus Ebola

Estamos presenciando a pior epidemia de Ebola da história. Muito se fala sobre a doença mais pouco se sabe sobre ela.

 

Estamos enfrentando a pior epidemia de Ebola da história, como classificou a Organização Mundial da Saúde (OMS).  Ainda sem a existência de cura ou vacina, a doença é conhecida por ser altamente transmissível e letal. O vírus foi detectado pela primeira vez em 1976, deixando cerca de 430 mortos. Desde então, os principais surtos aconteceram em 1995 com 254 óbitos, 2000 com 224 e em 2007 com 224, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), todos no continente africano.

Considerado por muitos o vírus mais perigoso que a humanidade já conheceu, seu contágio se dá pelo contato com as secreções de um doente, por exemplo: saliva, urina, fezes, vômito, sangue e até mesmo lágrimas. Manipular ou ingerir carne de animais que estejam infectados também pode ser uma forma de transmissão do Ebola. O vírus interfere na capacidade do sistema imunológico de montar sua defesa, debilitando e atingindo órgãos vitais, razão essa pela qual o vírus é tão mortal.

Os principais sintomas são: febredor de cabeça, fraqueza muscular e dor nas articulações. O período entre a infecção e o início dos sintomas varia, podendo ir de 2 a 21 dias. Conforme o agravamento do quadro, outros sintomas como náuseas, vômitos, erupção cutânea, olhos vermelhos,  dor no estômago, insuficiência renal e hepática começam a surgir.

Ainda não existe tratamento específico para a doença e nem cura, porém, existem duas vacinas em desenvolvimento que poderão estar no mercado até o ano que vem segundo informativos da .

As pessoas que são diagnosticadas com Ebola são isoladas imediatamente do público essa ainda é a medida mais assertiva para se evitar um possível surto. Apenas profissionais da saúde com equipamento de proteção completo podem manter contato com o paciente.

Mulheres de Coragem – Outubro Rosa: Silvia Tissi

Conheça a história de Silvia Tissi, que participou da campanha Mulheres de Coragem, um depoimento emocionante para mostrar a necessidade e importância do diagnóstico precoce.

No Outubro Rosa, o Delboni lançou a campanha Mulheres de Coragem, inspirada nas histórias de três mulheres que passaram pela mamografia anual, obtiveram diagnóstico positivo, realizaram o tratamento e venceram a batalha contra o câncer de mama.
Essa é a história da Silvia Tissi, 45 anos, que encontrou forças para superar a doença graças ao apoio da família.

Terceira idade deve controlar consumo de açúcar e sal

Veja dicas para desestimular o consumo excessivo desses temperos

1410_blog_delboni

Os cuidados com a alimentação são crescentes quando o assunto é a terceira idade. Uma das medidas mais importantes é desestimular o uso de sal e açúcar à mesa, para controlar o consumo destes alimentos. Com o passar dos anos, ocorrem mudanças naturais na intensidade de percepção do sabor. Logo, a pessoa idosa passa a adicionar mais açúcar, sal e outros condimentos para temperar os alimentos até alcançar um sabor que agrade ao paladar, o que pode acabar representando um abuso na quantidade.

Uma das recomendações para melhorar este aspecto é prestar atenção no ato de mastigar e na higiene bucal. Uma mastigação adequada dos alimentos associada aos cuidados frequentes com a higiene da boca, incluindo a escovação da língua, ajudam a perceber melhor o sabor dos alimentos, evitando o exagero no uso dos temperos. Outra dica é a adição de outros temperos à comida, como cheiro verde, alho, cebola e ervas. Isto pode ajudar a diminuir a utilização de sal no preparo dos alimentos, contribuindo para a redução do seu consumo.

Água é importante

Também é preciso estimular o consumo da água entre as refeições. A ingestão de líquidos pelas pessoas idosas precisa ser incentivada, pois são frequentes os casos de desidratação.

A primeira estratégia é despertar o idoso para os benefícios que a água traz para a saúde (o intestino funciona melhor, mantém a boca mais úmida, mantém a hidratação do corpo, entre outras vantagens). Para incentivar a ingestão de água, é essencial que o ambiente facilite o acesso da pessoa idosa aos utensílios (caneca, copo ou xícara) e ao filtro, estando tudo a uma altura adequada à da pessoa.

É importante incentivar o consumo da água em pequenas quantidades, várias vezes ao dia, entre as refeições. Entretanto, em casos cuja recomendação médica restringe a ingestão de líquidos, a quantidade diária de água para a pessoa idosa deve ser calculada e sua ingestão monitorada.

Hidrate-se!

Confira dicas para manter a hidratação em ordem nos de calor intenso

0910_blog_delboni

Na primavera e no verão aumentam as preocupações com a desidratação. A maioria dos médicos recomenda a ingestão de 1 a 2 litros de água por dia, indiferentemente da estação do ano. Uma dica para saber a quantidade mínima de água que você precisa consumir diariamente, basta se pesar no começo do dia e após duas horas de trabalho. A diferença representa o quanto de líquido foi gasto durante as atividades. Se você perdeu 40 gramas, terá que repor 40 ml de água. Isso quer dizer que cada grama corresponde a 1 mililitro. Para se ter uma ideia, um copo representa, em média, 200 ml.

A quantidade de líquido pode variar também se o indivíduo tiver uma alimentação balanceada. Algumas frutas possuem alto teor de água, como a melancia, por exemplo. Se você come uma fatia, que é composta por 90% de água, a quantidade a ser consumida em líquido diminui.

Outra dica são as bebidas esportivas, que são compostas por água, eletrólitos e carboidratos, que ajudam a repor o líquido perdido durante atividades físicas. Essas bebidas servem para evitar a desidratação e preservar o bom funcionamento metabólico, mas os isotônicos devem ser ingeridos na quantidade certa. Para os exercícios com duração superior a 1 hora, indica-se o consumo de 150 ml a 300 ml de uma bebida esportiva com concentração de 4% a 8% de carboidrato a cada 20 minutos.

É importante fazer uso de roupas leves e evitar tanto a exposição ao sol em dias quentes quanto a prática de exercícios debaixo do sol forte. A desidratação se caracteriza pela perda excessiva de água, sais minerais e líquidos orgânicos no corpo, que podem impedir que o organismo realize suas funções normais. Ela ocorre se a água eliminada pelo organismo não for reposta.

Doença celíaca

Cresce diagnóstico da doença em adultos.

A população brasileira tem cerca de 1% de portadores da doença celíaca, também chamada de intolerância ao glúten, proteína presente no trigo, na cevada, na aveia e no centeio. Entre os mais atingidos estão as mulheres e o diagnóstico da doença em adultos vem crescendo nos últimos anos.

Segundo um estudo realizado pela Associação dos Celíacos do Brasil, com cerca de 500 associados, em 28,7% dos participantes os exames confirmaram a doença, sendo a maioria do sexo feminino – proporção de 2 mulheres para 1 homem. A idade média do diagnóstico foi a faixa dos 16 anos para o sexo masculino e 26,7 para o sexo feminino. Estes resultados apontam para uma tendência de diagnóstico da doença celíaca em idades mais avançadas, especialmente entre as mulheres, e sugerem a necessidade de mais esclarecimentos para o público e classe médica quanto ao seu correto diagnóstico e .

Ao ingerir um alimento com glúten, o celíaco desenvolve uma reação imunológica no intestino delgado que causa a destruição das vilosidades da mucosa, dobras responsáveis pela absorção de nutrientes, vitaminas, sais minerais e água. Os sintomas da doença celíaca são diarreia crônica acompanhada de distensão abdominal, perda de peso, alteração do humor e anemia. A doença nem sempre é facilmente diagnosticada, já que os sintomas podem aparecer de forma branda ou agressiva e, por se tratarem de reações comuns a outras doenças.

A retirada dessa proteína da dieta pode melhorar o quadro e/ou contribuir para o desaparecimento dos sintomas. O consumo de alimentos que contenham glúten por paciente que ainda não foi diagnosticado com a doença celíaca pode desencadear um processo inflamatório. Por isso, os sintomas não podem ser desprezados.

Como o diagnóstico nos casos com poucos sintomas é considerado difícil, a investigação da doença deve ser criteriosa. É preciso se submeter a exames precisos para que haja comprovação suficiente. Entre os métodos de diagnóstico, estão a sorologia para antitransglutaminase IgA, anticorpo antiendomísio IgA e anticorpo antigliadina, além de biópsia do intestino.

Diagnóstico precoce do câncer de mama aumenta as chances de cura para 95% dos casos

No Outubro Rosa, o Delboni lança a campanha “Mulheres de Coragem”, inspirada na história de três mulheres que venceram a batalha contra a doença

blog_delboni

O Outubro Rosa é uma campanha de conscientização mundial para simbolizar a importância da luta contra o câncer de mama, que é a principal causa de morte por câncer na população feminina entre 40 e 70 anos de idade. O diagnóstico precoce pode ser feito por meio de exames de imagem, como mamografia e ultrassonografia da mama.

Submeter-se aos exames periodicamente é um ato que exige coragem, pois muitas mulheres não realizam o procedimento por medo, tanto da dor durante a realização do exame quanto do diagnóstico positivo. Porém, o diagnóstico precoce ajuda a detectar eventuais tumores em estágios iniciais, aumentando a chance de cura para 95% dos casos.

Mulheres reais, que tiveram coragem para enfrentar a doença, inspiraram a campanha do Delboni para o Outubro Rosa, chamada “Mulheres de Coragem”. Nesta campanha, são contadas as histórias de três mulheres que passaram pela mamografia anual, obtiveram diagnóstico positivo, realizaram o tratamento e venceram essa batalha.

Este mês, em nosso blog e em nossa fan page do Facebook, você vai conhecer a história de cada uma delas e saber como superaram a doença. Acompanhe!

Poluição: inimigo invisível da pele

Cuidados com o ar das grandes cidades

02corte

Quando falamos em poluição, é normal pensarmos em problemas associados à respiração. Correto! Mas, a verdade é que nossa pele também sofre muito com o ar contaminado. Ele estimula a oleosidade e pode aumentar a incidência de cravos e espinhas, causando também o envelhecimento cutâneo precoce.

Em uma cidade como São Paulo, com taxa de poluição às vezes superior aos níveis considerados aceitáveis pela OMS (Organização Mundial da Saúde), cuidar da pele requer atenção especial. Enumeramos algumas medidas que podem ajudá-lo a manter a pele mais saudável:

1. Não esqueça o protetor solar! Além de proteger contra os raios solares, ele também vai criar uma película entre os seus poros e a poluição. Caso passe muito tempo ao ar livre, lembre-se de reaplicar o filtro solar ao menos uma vez ao longo do dia.

2. Ao fim do dia, lave o rosto com um sabonete específico para essa região. É importante limpar bem a pele para que todas as toxinas sejam eliminadas. Opte também por um hidratante, de preferência que possua anti-radicais livres na fórmula, indicado para reparar possíveis agressões causadas à pele.

3. Manter-se hidratado é fundamental para cuidar da pele. Alimentos com alto poder de hidratação, como melancia, melão e água de coco, podem complementar a ingestão diária de água.

4. Procure não tomar banhos muito demorados e quentes, que ressecam a pele e podem piorar ainda mais a sua regeneração.

5. Em nenhuma hipótese durma de maquiagem. Esses produtos obstruem ainda mais os poros, favorecendo a ocorrência de acne e estimulando o envelhecimento precoce da pele.

Medicina nuclear: diagnósticos mais precisos e tratamentos mais eficientes

Saiba como a tecnologia tem revolucionado e facilitado o tratamento de tumores

10corte

Observar tecidos, órgãos e moléculas sem precisar tocar em um bisturi já foi o sonho de muitos médicos. Hoje, graças aos investimentos em tecnologia de ponta, isso é possível. A chamada medicina nuclear leva para os laboratórios a possibilidade de fazer essa checagem de forma não invasiva, por meio da marcação de moléculas com elementos que permitem a sua visualização no interior do corpo humano, utilizando equipamentos especiais.

Para o tratamento de um câncer, por exemplo, essa é a ferramenta principal. O controle da doença, e até sua cura, dependem da escolha do melhor tratamento, uma tarefa nem um pouco simples para o médico. Ele deve conhecer bem o tumor que irá assistir, identificar sua localização precisa, nível de agressividade e extensão. Para isso, o exame de tomografia de emissão de pósitrons (PET) acoplada à tomografia computadorizada (CT) é uma das melhores opções.

O exame combina as técnicas mais modernas de diagnóstico por imagem, que revelam, ao mesmo tempo, metabolismo e anatomia da doença. A precisão e a clareza de dados são tão elevadas que os médicos conseguem refinar ou mudar sua estratégia terapêutica em 20 a 40% dos casos, dependendo do tipo de câncer examinado. As alternativas de tratamento existentes são cirurgia, quimio e radioterapia, ou uma combinação entre elas.

O funcionamento da técnica baseada nos princípios da medicina nuclear parece simples à primeira vista: o paciente recebe uma injeção de glicose marcada com um elemento que permite a sua visualização no interior do corpo do paciente. O grau de absorção desse combinado reflete o grau de atividade do tumor. “O tumor cresce de forma desordenada, necessitando de mais substratos energéticos para suportar esse crescimento. A glicose é um desses ‘combustíveis’ essenciais para o crescimento do tumor e, por isso, ele consome glicose mais rapidamente e em maior quantidade do que as demais células do nosso organismo”, explica Dr. Carlos Alberto Buchpiguel, nosso especialista em medicina nuclear e imagem molecular.

Com essa relação, a PET pode revelar novos focos de tumores, permite estimar o nível de agressividade da doença e, por vezes, diferenciar tumores benignos e malignos. Contudo, para se identificar de forma precisa o tecido afetado, o equipamento é acoplado a uma CT, que revela a anatomia dos órgãos e tecidos do paciente.

Depois do tratamento, a PET-CT ainda registra o grau de atividade das massas residuais e determina se estão ativas ou não, indicando continuidade do tratamento ou novas abordagens. Além de ser indispensável para um tratamento de sucesso no combate ao câncer, o exame tem outra aplicação muito importante: a confirmação de quadros demenciais, como o Mal de Alzheimer. Ele pode acabar com as dúvidas quando o diagnóstico clínico é contraditório ou indeterminado.

Como Funciona

O paciente recebe uma injeção de glicose especial em uma veia periférica. Em uma hora, o material reage no organismo e permite a obtenção de imagens do exame, que dura entre 15 e 30 minutos. Diabéticos podem também se submeter a esse tipo de exame, desde que estejam com sua doença compensada e com níveis de glicemia em jejum inferior a 180mg/dL.

Não deixe o medo atrapalhar a sua prevenção

Exames periódicos para encontrar nódulos são necessários e não devem ser motivo para pânico

04corte

Exames periódicos para encontrar nódulos são necessários. E mesmo que o diagnóstico seja positivo, não há motivo para pânico.

Segundo dados da literatura médica, o nódulo na tireoide é uma ocorrência frequente. Exames ultrassonográficos podem detectar a presença deles, e até mesmo de alterações milimétricas na tireoide.

Sua ocorrência é muito mais frequente nas mulheres do que nos homens, e observa-se que sua prevalência aumenta com a idade – 50% da população acima de 50 anos apresenta esta condição. Apesar dessa grande incidência, apenas 5% dos nódulos são malignos.

Como a ultrassonografia é muito sensível, ela possibilita detectar e selecionar os nódulos que devem ter investigação aprofundada. Assim, o exame ultrassonográfico com Doppler colorido indica os nódulos que têm risco aumentado e devem ser investigados por meio da punção aspirativa por agulha fina (PAAF).

Quando o paciente tem histórico familiar de câncer de tireoide ou quando o nódulo é detectado por palpação, a PAAF – um tipo de biópsia simples realizada no próprio consultório – também é solicitada. Assim como a ultrassonografia, a PAAF é um exame que pode definir a conduta de tratamento. Quando um nódulo não é suspeito ou é de baixo risco, ele deve ser acompanhado, o que geralmente inclui exames laboratoriais e ultrassonografia.

Se analisarmos os dados a respeito da taxa de mortalidade por câncer de tireoide, observaremos que é baixa, e permanece a mesma há quatro décadas, o que nos leva a concluir que estamos, cada vez mais, identificando nódulos malignos menores e tratando-os precocemente.

O tratamento do nódulo maligno é a cirurgia (tireoidectomia) que poderá ou não ser seguida pela radiodoterapia. Ainda nos casos de nódulos malignos, o prognóstico geralmente é bastante favorável: a cirurgia consegue tratar o problema em cerca de 90% dos casos.

Dessa forma, o diagnóstico de nódulo da tireoide não é motivo de pânico, mas não deve ser negligenciado. O melhor é procurar um especialista (endocrinologista e/ou cirurgião de cabeça e pescoço) que solicitará os exames necessários, analisará os riscos e indicará o melhor tratamento.

Texto escrito pela nossa médica Dra. Maria Cristina Chammas e pubicado na 1a edição da Revista do Delboni.