Dia 25 de novembro: Dia Nacional do Doador de Sangue

Salve vidas. Doe Sangue

blog

Dia 25 de Novembro é comemorado o Dia Nacional do Doador de Sangue. Segundo dados do Ministério da Saúde, apenas 1,9% dos brasileiros doam sangue regularmente. De acordo com Selmo Minucelli, hematologista do Laboratório Delboni, o procedimento é seguro e quem doa uma vez não é obrigado a doar sempre. “Mas é importante que pessoas saudáveis façam este gesto solidário regularmente”, recomenda.

O especialista explica que o material usado na coleta é descartável e não oferece qualquer risco de contaminação. A doação é rápida e a quantidade de sangue coletado é pequena, apenas 450 ml. Qualquer pessoa saudável, que tenha entre 18 e 65 anos de idade e, no mínimo, 50 kg pode doar.

Infelizmente ainda existem alguns mitos levantados por falta de instrução. Este fator tem colaborado para que os hemocentros recebam menos doadores.

Estão entre eles:

Doar sangue não engorda e nem emagrece;

Doar sangue não engrossa e nem afina o sangue;

Doar sangue não vicia;

Doar sangue não altera a pressão arterial;

O organismo repõe o volume de sangue doado nas primeiras 24 horas após a doação;

Quando falamos sobre o uso de medicamento, devemos analisar caso a caso. Portanto, antes de doar consulte o Serviço de Hemoterapia;

Pessoas que fazem tratamento homeopático podem sim doar sangue;

Grávidas não podem doar sangue. Mas, se o parto for normal, a mulher pode doar depois de três meses. Em caso de cesariana, após seis meses. E no caso de ainda estar amamentando, aguardar 12 meses após o parto.

 

Ninguém está livre de precisar de uma transfusão de sangue. Seja por conta de um acidente, um procedimento médico ou uma cirurgia.  Doar sangue é um ato de amor ao próximo. Dessa forma, é fundamental a conscientização da população brasileira sobre a importância deste ato humanitário.

Muita gente sabe que doar sangue é importante e salva vidas, mas são poucos são os que aderem a esta prática. Abrace esta ideia você também.

A obesidade infantil deve ser levada a sério

A obesidade infantil já atinge 300 milhões de crianças, segundo dados da International Obesity Taskforce (IOTF), entidade que estuda meios para combater a obesidade mundial

Delboni_1811_blog

A obesidade infantil passou de um problema estético para um problema de saúde que merece atenção e cuidados. O que antes era “apenas” motivo de zoação entre as crianças do colégio, hoje não devemos mais ignorar. A obesidade infantil já é considerada uma epidemia global pela OMS.

Um estudo publicado na revista científica New England Medical Journal, da Inglaterra, aponta que crianças com Índice de Massa Corporal (IMC) considerado acima do normal têm maiores chances de contrair doenças coronarianas na idade adulta. “Como cada vez mais crianças estão se tornando obesas no mundo inteiro, espera-se que em pouco tempo o número de pessoas com problemas cardíacos aumente significativamente”, comenta o Dr. Frederico G. Marchisotti, endocrinologista do Delboni.

A associação entre obesidade e doenças cardíacas se mostrou mais forte entre os meninos do que em relação às meninas e ainda aumenta de acordo com a idade. “Assim, meninos obesos no final da infância apresentam o maior risco”, diz o endocrinologista. Além de doenças coronarianas e infarto, existem outros problemas futuros relacionados à obesidade como: diabetes, hipertensão, colesterol alto, AVC, artrose, cálculo biliar (pedra na vesícula), apnéia do sono, câncer de mama e câncer de intestino.

Uma criança pode ser identificada como obesa quando o seu IMC (Índice de Massa Corpórea) está entre o percentual de 85 a 95 em relação ao gráfico do CDC 2000 (Center for Disease and Control and Prevention, dos EUA) e obesa quando o percentil for maior que 95.

Para evitar a obesidade na fase infantil, recomenda-se a amamentação até seis meses de idade, seguida do fornecimento de alimentos adequados e estímulo à prática de atividade física prazerosa, como brincadeiras ao ar livre e esportes. “Os pais devem evitar o acesso das crianças às guloseimas, para preservar o apetite nas refeições. Além disso, é recomendada a ingestão de no máximo uma lata de óleo para preparo das refeições ao mês”, sugere Dr. Frederico.

Introduzir desde cedo verduras e legumes à alimentação da criança para acostumar seu paladar e sua aceitação futura também pode ser uma boa solução. Para isso, indica-se diversificar a forma de preparo dos vegetais e leguminosas, oferecer os mesmos em pequena quantidade e misturados com outros alimentos de mais fácil aceitação.

Novembro azul: Vamos barrar o preconceito

Se detectado no início, o câncer de próstata tem chances altas de cura

Delboni_0311_3

Depois de o mês de outubro ser marcado pela campanha para prevenção do câncer de mama, o Outubro Rosa, agora é a vez dos homens. Novembro é considerado o mês de prevenção e conscientização sobre o câncer de próstata, movimento conhecido como Novembro Azul.

A próstata é uma glândula que só o homem tem, localizada logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo por onde a urina armazenada na bexiga é eliminada. Ela representa um papel fundamental na fertilidade masculina, podendo produz até 70% do sêmen. Embora a próstata seja formada por vários tipos de células, a maioria dos cânceres de próstata se origina nas glândulas que produzem líquido seminal, chamadas de adenocarcinomas.

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens brasileiros e o sexto tipo mais prevalente entre os homens ao redor do mundo, representando quase 10% do total de cânceres. Menos de 10% destes cânceres apresentam componente hereditário.

O diagnóstico pode ser feito principalmente por três exames: o PSA, chamada de antígeno prostático específico, que é o aumento de uma proteína no sangue. Através do exame de toque retal ou pela ultrassonografia da próstata, possibilitando a identificação de nódulos. Porém, a confirmação do diagnóstico se dá, sempre, através da biópsias transretais da próstata.

Os principais fatores de risco são a idade e o histórico familiar sobre a doença. A incidência começa a aparecer a partir dos 45 anos de idade. Estudos em autópsia mostram que um em cada quatro homens que morreram após os 80 anos já tinha câncer de próstata (que não foi a causa da morte).

Faça seus exames preventivos regularmente!

Delboni inicia campanha de vacinação contra HPV voltada para jovens de 9 a 26 anos

Faixa etária é a mais indicada para receber a vacina, já que nos primeiros anos de vida sexual grande parte das pessoas já se contaminam com o HPV. Homens também são alvo da campanha

Blog

O Delboni Medicina Diagnóstica iniciou na semana passada sua campanha de vacinação contra o HPV (Papiloma Vírus Humano), considerada a mais difundida doença sexualmente transmissível e a principal causa do câncer de colo de útero. A campanha tem como foco os jovens de 9 a 26 anos, uma vez que a doença é transmitida desde o início da vida sexual. “A maioria das pessoas adquire o HPV nos primeiros três anos em que passam a ter relações sexuais”, afirma o médico sanitarista Dr. Ricardo Cunha, responsável pelo setor de vacinas do Delboni.

As vacinas contra o HPV são administradas em três doses, a primeira dose é administrada na data escolhida, a segunda dose com intervalo de 30 a 60 dias (dependendo da vacina utilizada) e a terceira doses com 6 meses de intervalo da primeira dose. Apenas a vacina quadrivalente (HPV 6, 11, 16 e 18) é recomendada e aprovada para uso em homens. Resultados dos estudos clínicos demonstraram eficácia de 99% para câncer de colo de útero, 100% de proteção para lesões de alto grau de vagina e vulva e 99% para lesões genitais externas.

O médico explica que a vacina é mais eficaz quando realizada entre 9 e 14 anos de idade, mas que também tem uma excelente eficácia em pessoa com mais idade. Estima-se que mais 70% dos homens e mulheres sexualmente ativos entrem em contato com um ou mais tipos de HPV em algum momento de suas vidas, sendo 46% das mulheres nos primeiros dois anos de atividade sexual e 60% dos homens nos primeiros três anos de atividade sexual. “Por conta disso, o recomendável é vacinar os adolescentes antes mesmo do início da atividade sexual”, diz o especialista, lembrando que isso vale tanto para as meninas quanto para os meninos.

“Importante salientar também que o HPV, além de ter comprovada associação com o câncer do colo uterino, de vagina e de vulva, também está relacionado às verrugas genitais, câncer de ânus, câncer de laringe e câncer de pênis nos homens. Portanto é uma infecção que acomete tanto homens como mulheres”, diz o Dr. Cunha.

 

Segundo o médico, o contato sexual é a maneira mais comum de contágio, incluindo o sexo oral e as chamadas “preliminares”. Isso porque somente o simples atrito da mão, boca ou genitais com a mucosa infectada já são suficientes para contaminação pelo vírus.

 

Embora não substitua outros métodos de prevenção nem permita o abandono do uso de preservativos, a vacina é mais uma arma contra a doença, já que se trata de um vírus altamente contagioso.

 

Além disso, por ser uma doença silenciosa, que na maioria das vezes não apresenta sintomas, é muito importante se precaver de todas as formas e consultar regularmente um especialista para realizar exames periodicamente.

 

A vacina contra o HPV pode ser adquirida nas seguintes unidades do Delboni:

 

  • Alto de Pinheiros
  • Alto de Santana
  • Augusta
  • Brasil 721
  • Chácara Flora
  • Granja Viana
  • Guarulhos
  • Lapa
  • Líbero Badaró
  • MegaUnidade 23 de Maio
  • MegaUnidade Brooklin
  • MegaUnidade Itaim Bibi
  • MegaUnidade Jardim Sul
  • MegaUnidade Luiz Dumont Villares
  • MegaUnidade Mooca
  • MegaUnidade Ricardo Jafet
  • MegaUnidade Santo André
  • MegaUnidade São Bernardo do Campo
  • MegaUnidade Sumaré
  • MegaUnidade Tatuapé
  • Osasco
  • Santo André
  • Santos

 

Para mais informações acesse: http://www.delbonivacinas.com.br/#campanhahpv

Se todo mundo colaborar, conseguimos acabar com a dengue!

A melhor forma de se proteger do mosquito é evitar que ele se desenvolva.

Delboni_0511

Dia 05 de novembro é o dia Nacional de Controle à Dengue. A data faz parte de um projeto desenvolvido pelo governo federal com o objetivo de mobilizar e informar a população sobre os riscos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da doença.

O que faz o Aedes Aegypti diferente de outros mosquitos é que seu corpo apresenta várias pintinhas brancas. Este inseto apresenta hábitos diurnos, ou seja, faz suas vítimas durante o dia. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima–se que cerca de 80 milhões de pessoas são infectadas anualmente em todo o mundo.

Qualquer local limpo e com água parada serve de “berço” para os ovos do Aedes Aegypti. A melhor forma de se proteger do mosquito é eliminar os criadouros. Medidas simples como não deixar acumular água em garrafas, pneus, vasos de plantas e etc. ajudam no combate a doença.

Para conseguirmos erradicar a doença, é preciso que toda população adote medidas preventivas. Pensando nisso, o Ministério da Saúde criou um número para receber queixas sobre locais que possam abrigar as larvas do mosquito.

Você tem algum lugar que possa ser criadouro de dengue? Denuncie pelo número: 0800 770 5870