Hepatite: sintomas silenciosos podem ter sérias consequências.

Os três tipos mais comuns de Hepatite são causados pelos vírus A, B e C. Conheça melhor a doença que hoje atinge mais de 170 milhões de brasileiros e saiba como se prevenir.

ImagemBlog_Hepatite

Os três tipos mais comuns de Hepatite são causados pelos vírus A, B e C. Conheça melhor a doença que hoje atinge mais de 170 milhões de brasileiros e saiba como se prevenir.

A Hepatite é uma inflamação aguda no fígado que pode evoluir e se tornar crônica, causando complicações como cirrose ou câncer de fígado. A doença tem origem viral (hepatite A, B, C, D e E), tóxica, medicamentosa, alcoólica, bacteriana ou parasitária. Neste post, falamos sobre os três tipos mais comuns de Hepatite – A, B e C – e como evitar o contágio.

Hepatite A

Esse tipo de Hepatite é transmissível por alimentos mal lavados e água contaminada, e contraída através de infecções fecais ou orais. Os sintomas típicos são: náusea, vômito, mal-estar, febre, perda de apetite, fezes mais claras e um amarelão no corpo e nos olhos. Existe vacina contra o vírus da Hepatite A, mas também é possível evitá-la é utilizando saneamento básico e água tratada, cozinhando bem os alimentos e lavando sempre as mãos antes das refeições.

Hepatite B

É transmissível pelo sangue através de transfusões de sangue, uso de material cirúrgico não esterilizado, sexualmente ou verticalmente (de mãe para o filho durante a gestação ou parto). Alguns estudos estimam que 15% da população brasileira já foi contaminada pela doença. Os sintomas incluem dor abdominal, urina escura, febre, dor nas articulações, perda de apetite, náusea e vômitos, fadiga e pele amarelada. Eles surgem entre dois a quatro meses após o contato com o vírus, e sua intensidade pode variar. Para se prevenir adequadamente, crianças e adultos precisam se vacinar. No dia-a-dia, usar preservativo e evitar usar objetos pessoais de outros (como lâminas de barbear ou escovas de dente) são as maneiras mais recomendadas para ficar longe da Hepatite B.

Hepatite C

É transmitida através do contato com sangue contaminado. Outras formas de contágio, como sexual e vertical ainda não estão comprovadas, mas não podem ser totalmente descartadas. Os sintomas são bem parecidos com os da Hepatite B: urina escura, dor abdominal, urina escura, fraqueza e febre. Pode ocorrer sangramento no esôfago ou no estômago. O tratamento desse tipo de Hepatite é bem mais difícil, e em alguns casos, pode ser necessário um transplante de fígado. Apesar de não existir vacina para a Hepatite C, há outras formas de prevenção, como garantir adistribuição de material biológico não infectado (em doações de sangue, órgãos ou tecidos), abstinência do uso de álcool e a não exposição a outras substâncias tóxicas ao fígado. Ao fazer piercings e tatuagens, procurar um local limpo e um profissional de confiança também é um bom método preventivo.

É importante lembrar que os sintomas da Hepatite podem demorar meses a se manifestar. Por isso, não se esqueça de manter seus exames e vacinas em dia antes mesmo de qualquer suspeita.

Sífilis: o diagnóstico precoce facilita o tratamento

Saiba mais sobre as três fases da doença e entenda a importância de realizar exames regulares para a detecção da DST.

Delboni_ImagemBlog_Sifilis

A Sífilis é uma Doença Sexualmente Transmissível (DST) causada pela bactéria Treponema pallidum, contraída por meio de pequenas lesões na pele e mucosas, genitais ou extragenitais. A doença se apresenta em três fases de gravidade, e os sintomas variam conforme ela evolui.

Sintomas

A primeira fase da doença é como uma infecção recente, com feridas indolores no local infeccionado. As feridas são difíceis de perceber, principalmente se estiverem localizadas no reto ou no colo do útero.  A segunda surge após algumas de evolução da doença, depois das feridas se formarem. Dores musculares, febre, dor de garganta e dificuldade para deglutir são os sintomas mais comuns. Sem o devido tratamento, a doença se desenvolve para o terceiro e mais grave estágio. Nele, a infecção se espalha para áreas como cérebro, sistema nervoso, pele, ossos, articulações olhos, artérias, fígado e até mesmo para o coração.

A Sífilis pode, também, ser congênita, e a mãe infectada transmite a doença para o bebê tanto por meio da placenta quanto na hora do parto. Posteriormente, o bebê ainda pode desenvolver sintomas graves como surdez e deformidades nos dentes.

Tratamento

Com um diagnóstico precoce, a Sífilis não causa maiores danos à saúde, e o paciente pode ser curado rapidamente. O tratamento mais comum é feito à base de penicilina. Se aplicada no primeiro ano após a infecção, uma injeção de penicilina pode ser o suficiente para tratar a doença. Em casos mais graves o paciente pode precisar de mais uma injeção e os danos já causados podem ser irreversíveis.

Prevenção

Caracterizada como uma doença silenciosa, os exames para detecção da DST devem ser realizados regularmente. Além disso, o uso de preservativos ao manter relações sexuais com uma ou mais pessoas ainda é a maneira mais eficaz de se prevenir contra a doença.