Cuidados no terceiro trimestre de gestação

O tão esperado momento está batendo à porta. Veja tudo o que acontece na fase final da gravidez e quais são os preparativos para a chegada do bebê.

Delboni_blog_700x240

O terceiro trimestre corresponde ao período entre a 28ª e a 40ª semana de gestação. Devido às expectativas em relação ao parto e à curiosidade para finalmente conhecer o filho, essa época é caracterizada pela ansiedade para a maioria das gestantes. A seguir, confira como se preparar para os momentos finais da gravidez.

Primeiro, é importante prestar atenção em seu condicionamento físico. Em razão do aumento do volume de sangue no organismo, seu coração está trabalhando cerca de 50% mais do que o normal, o que tende a deixá-la mais cansada e com falta de ar.

No último trimestre, o bebê ganha peso rapidamente, cerca de 20 a 30 gramas ao dia. Ele já se parece bastante com o que será quando nascer: tem unhas, cabelo e órgãos maduros. A quantidade de líquido amniótico vai diminuindo ao passo que o bebê ocupa todo o espaço que resta. Os movimentos fetais são reduzidos pela mesma razão, a partir da 38ª semana.

O número de consultas ao obstetra deve aumentar ao fim da gestação, recomendando-se uma a cada 15 dias após a 34ª semana. O acompanhamento é fundamental para avaliar o bem-estar da futura mãe e do bebê, além de verificar a dilatação do colo uterino.

Uma dica importante é deixar as malas prontas com antecedência para a ida à maternidade. As contrações são comuns no terceiro trimestre com intensidade e a duração curtas, tanto que muitas gestantes não as percebem. No início do trabalho de parto, porém, elas são mais fortes e lembram uma cólica menstrual, vindo das costas em direção ao ventre. A duração dessas contrações é de até 50 segundos, sendo que o intervalo entre uma e outra vai diminuindo até a hora do parto.

A rotina de exames pré-natais continua na etapa final da gravidez. Os principais são: teste de intolerância à glicose (avalia o risco de diabetes gestacional), exame para infecção de estreptococos do grupo B (detecta a presença de bactérias que causam pneumonia e outras infecções no recém-nascido), ultrassom obstétrico (observa o crescimento do bebê, a quantidade de líquido amniótico e a placenta) e o exame de urina (verifica a presença de proteína com o intuito de auxiliar no diagnóstico de pré-eclâmpsia e infecções).

Quer saber mais detalhes sobre como se preparar para esse momento tão especial? Confira a matéria completa aqui: http://pt.calameo.com/read/00166344122dec876eb3a