Hábitos para deixar o coração saudável

Pequenas atitudes fazem muita diferença na hora de cuidar do sistema cardiovascular

delboni-coração-corte

Ao contrário do que muitos pensam, não é preciso fazer uma mudança radical na vida para melhorar a saúde do seu coração. Muitos hábitos recomendados são muito simples de fazer e pequenas atitudes, somadas, podem fazer uma grande diferença.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda sete práticas fáceis que podem evitar doenças cardíacas graves como o acidente vascular cerebral (AVC) ou o infarto:

  • Não fumar: a nicotina diminui a espessura dos vasos sanguíneos, aumentando a pressão e facilitando a absorção do colesterol, enquanto o monóxido de carbono reduz a concentração de oxigênio no sangue. Assim, o fumante está mais sujeito a vários problemas relacionados à circulação, como derrame, aneurisma e infarto.
  • Fazer exercícios: meia hora por dia mexendo o corpo já ajuda a afastar doenças cardiovasculares, reduzir a necessidade de medicação, diminuir a enxaqueca, cuidar do cérebro e melhorar a capacidade pulmonar.
  • Controlar a pressão arterial: se não há casos de hipertensão na família, faça a medição pelo menos uma vez ao ano. Se houver, faça um acompanhamento mensal e evite o consumo de sal.
  • Controlar o nível de glicose: vale a mesma recomendação da pressão. Fique de olho na glicose para não correr risco de desenvolver diabetes.
  • Controlar o colesterol: no Brasil, cerca de 40% da população tem colesterol alto e boa parte não sabe que tem a doença. Cuidado com o consumo de gordura saturada e gordura trans.
  • Adotar uma dieta balanceada: frutas, legumes e verduras, além das proteínas advindas das carnes magras, ajudam o organismo a funcionar bem.
  • Manter o peso ideal: o ideal é manter o índice de massa corpórea (IMC) entre 20 e 25. O excesso de peso predispõe a doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão e colesterol alto. Não precisa ficar magérrimo ou com músculos definidos.

Além das recomendações da OMC, outras dicas são bem-vindas:

  • Relaxe: uma pesquisa da Washington University School of Medicine concluiu que fazer ioga diminui a ansiedade e pode reduzir riscos cardiovasculares. O mesmo vale para meditação ou qualquer hobby que faça a mente abstrair as tensões.
  • Mantenha os amigos por perto: estudo da State University of New York afirma que ter uma relação forte com alguém (tanto no sentido amoroso quanto o da amizade) diminui os riscos de ataque cardíaco, especialmente o risco de reincidência em quem já enfartou antes.
  • Saboreie um chocolate: chocolate com alta concentração de cacau é uma delícia e seus anti-oxidantes relaxam os vasos sanguíneos, diminuem a pressão e controlam o açúcar no sangue.
  • Durma bem, mas nem tanto: quem dorme menos de 6 horas por dia tem o dobro do risco de ter um ataque cardíaco, enquanto quem dorme demais tem mais chances de sentir dores no peito e doenças coronárias.

Uma maneira de descobrir a quantas anda o coração é fazer um exame de Holter 24 horas, uma espécie de gravador conectado ao tórax por fios e eletrodos que registra o batimento cardíaco durante as atividades de rotina de um dia inteiro. É como um eletrocardiograma portátil. Assim, pequenas alterações como arritmias e palpitações são localizadas facilmente.

Tags:, , , , ,