Maior e melhor

A mania de grandeza de Atlanta é uma das características que encantam quem visita a cidade. Fontes, museus, história e tradições são convidativos e fazem o turista sentir-se parte de tudo aquilo. Um brinde à grandiosidade!

delboni-atlanta-corte

Ela já foi totalmente destruída durante a Guerra Civil americana, renasceu das cinzas, se desenvolveu e virou uma bonita, agradável e interessante metrópole. Para fugir um pouco dos destinos convencionais, vale a pena colocar a capital do estado da Geórgia – e, para muitos, a capital da região sul inteira – no itinerário. Afinal, Nova York, Miami e Orlando, destinos bastante visitados por brasileiros, estarão sempre iguais; Atlanta, por outro lado, está em constante (e encantadora) mutação.

Durante o dia
Quem curte esporte não pode perder o Parque Olímpico, palco dos Jogos de 96. Além da memória dos jogos, o local oferece, de acordo com uma agenda bastante cheia, shows e festivais, além de playground e da Fountain of Rings, uma enorme fonte com show aquático, que rende belas fotos.

O parque é rodeado por três das principais atrações de Atlanta: o Aquário de Georgia, o maior do continente com mais de cem mil animais; a sede dos estúdios da CNN, em que você pode acompanhar os bastidores do jornal; e o Museu da Coca-Cola, que conta tudo sobre a bebida mais famosa do planeta (menos sua fórmula secreta, claro) de modo interativo e com muita degustação. Já deu para notar que Atlanta tem uma certa mania de grandeza, certo?

O Piedmont Park, quase um Central Park local, também merece destaque por ser uma área calma no meio da metrópole, assim como o Jardim Botânico.

Após conhecer esses lugares, uma boa dica é visitar o Underground Atlanta. Lá você pode começar, com calma, a maratona de comprar entre lojinhas, restaurantes e obras de arte. Quando você estiver preparado para passar para o momento das compras – hábito que deixou o brasileiro conhecido mundialmente – siga para o Lennox Square Mall, o Phipps Plaza e o North Georgia Premium Outlets.

Já os fascinados por História vão se arrepender se deixarem de passar pelo Atlanta History Center, o Martin Luther King Jr. National Historic Site e o Museu da Guerra Civil. Os motivos são autoexplicativos.

Vida noturna
Ao chegar ao hotel depois de um dia todo andando por aí, nem pense em ir direto para a cama. Tome um banho e explore a cena noturna. Para jantar, escolha o Shout, que combina diferentes culinárias, na animada Midtown.

Depois de comer, opções de bar e balada não faltam. Na dúvida, vá para o Blind Willie’s, um dos melhores bares de blues – uma tradição da região –, ou para o Ormsby’s, com extensa seleção de cervejas artesanais – outro ponto forte de Atlanta.

Para fugir do comum
Quem adora uma boa cerveja artesanal vai ficar feliz em saber que Atlanta é um prato (ou barril?) cheio para degustar uma cerveja. Além de todos os seus atributos, a cidade é considerada a capital sulista da arte de fazer cerveja – são mais de 20 microcervejarias no território e mais um festival anual que já vai para a quarta edição. Que tal um tour especial?

Quem prefere passeios alternativos também pode passar em Little Five Points, um bairro eclético com lojas vintage, artistas de rua e bons restaurantes. À noite, outra sugestão de jantar é o Agatha’s, perfeito para os amantes de romances policiais – enquanto os pratos são servidos, atores investigam um assassinato entre as mesas. Se você preferir outras emoções, parta para o Game-X, que traz o melhor dos jogos eletrônicos – dos clássicos retrôs aos de última geração.

Em tempo: a série de zumbi mais famosa de todos os tempos, The Walking Dead, é gravada em Atlanta, ou seja: existem vários Zombie Tours disponíveis para os fãs.

Saúde que cruza oceanos
Atlanta foi sede de um dos congressos
médicos mais importantes do mundo, da American Association for Clinical Chemistry, uma entidade internacional compromissada com os profissionais de saúde que possuem interesse em laboratórios de análises clínicas.

Conhecido como AACC, o encontro anual traz palestrantes especialistas em todas as áreas
da patologia clínica, com o objetivo de agregar informação e conhecimento por meio de workshops, que apontam tendências e novos desdobramentos da medicina diagnóstica.

Na edição de 2013, que teve sede no Texas, nossos médicos apresentaram 53 trabalhos científicos (61% da presença nacional)e trouxeram a única premiação brasileira para casa.

(Texto publicado originalmente na Revista Delboni Auriemo. Você pode fazer o download para iPad neste link (http://bit.ly/XIXQER) ou retirar sua versão impressa em qualquer Unidade de Atendimento do Delboni (http://bit.ly/XIXNc2).)

Tags:, , , , ,