Os hormônios masculinos no corpo da mulher

Os androgênios são hormônios masculinos, como a testosterona, produzidos primariamente pelas glândulas adrenais e pelos ovários.

Delboni_1405_int

Os androgênios são hormônios masculinos, como a testosterona, produzidos primariamente pelas glândulas adrenais e pelos ovários. O excesso de androgênios (hiperandrogenismo) é a alteração endócrina mais comum entre as mulheres de idade reprodutiva (8%), sendo causada principalmente pela síndrome dos ovários policísticos.

Esta síndrome é a causa mais comum de infertilidade anovulatória (ausência de ovulação) e a obesidade é muito comum nessas pacientes. O diagnóstico do ovário policístico deve ser suspeitado em toda mulher em idade reprodutiva que apresente sinais ou sintomas de anovulação e/ou hiperandrogenismo. Por se tratar de uma síndrome, não há um tratamento especifico, mas aquele que engloba modificações no estilo de vida e medicamentos com o objetivo de diminuir o hiperandrogenismo e a resistência insulínica, além de induzir a ovulação.

Já em mulheres mais velhas, observamos uma queda lenta e progressiva dos níveis de androgênios a partir da quarta década. Esse declínio pode gerar um estado de deficiência androgênica que pode se manifestar por redução da libido, desmotivação, cansaço, redução da sensação de bem-estar e perda de massa óssea. O diagnóstico é reforçado pelo achado de níveis baixos de testosterona livre no sangue, porém, o diagnóstico é essencialmente clínico.

A reposição androgênica, no entanto, é um tema controverso, já que não há dados de segurança no uso a longo prazo. Portanto, a indicação de tratamento deve ser individualizada. Seu médico é a pessoa mais indicada para te orientar sobre este assunto.