A obesidade infantil deve ser levada a sério

A obesidade infantil já atinge 300 milhões de crianças, segundo dados da International Obesity Taskforce (IOTF), entidade que estuda meios para combater a obesidade mundial

Delboni_1811_blog

A obesidade infantil passou de um problema estético para um problema de saúde que merece atenção e cuidados. O que antes era “apenas” motivo de zoação entre as crianças do colégio, hoje não devemos mais ignorar. A obesidade infantil já é considerada uma epidemia global pela OMS.

Um estudo publicado na revista científica New England Medical Journal, da Inglaterra, aponta que crianças com Índice de Massa Corporal (IMC) considerado acima do normal têm maiores chances de contrair doenças coronarianas na idade adulta. “Como cada vez mais crianças estão se tornando obesas no mundo inteiro, espera-se que em pouco tempo o número de pessoas com problemas cardíacos aumente significativamente”, comenta o Dr. Frederico G. Marchisotti, endocrinologista do Delboni.

A associação entre obesidade e doenças cardíacas se mostrou mais forte entre os meninos do que em relação às meninas e ainda aumenta de acordo com a idade. “Assim, meninos obesos no final da infância apresentam o maior risco”, diz o endocrinologista. Além de doenças coronarianas e infarto, existem outros problemas futuros relacionados à obesidade como: diabetes, hipertensão, colesterol alto, AVC, artrose, cálculo biliar (pedra na vesícula), apnéia do sono, câncer de mama e câncer de intestino.

Uma criança pode ser identificada como obesa quando o seu IMC (Índice de Massa Corpórea) está entre o percentual de 85 a 95 em relação ao gráfico do CDC 2000 (Center for Disease and Control and Prevention, dos EUA) e obesa quando o percentil for maior que 95.

Para evitar a obesidade na fase infantil, recomenda-se a amamentação até seis meses de idade, seguida do fornecimento de alimentos adequados e estímulo à prática de atividade física prazerosa, como brincadeiras ao ar livre e esportes. “Os pais devem evitar o acesso das crianças às guloseimas, para preservar o apetite nas refeições. Além disso, é recomendada a ingestão de no máximo uma lata de óleo para preparo das refeições ao mês”, sugere Dr. Frederico.

Introduzir desde cedo verduras e legumes à alimentação da criança para acostumar seu paladar e sua aceitação futura também pode ser uma boa solução. Para isso, indica-se diversificar a forma de preparo dos vegetais e leguminosas, oferecer os mesmos em pequena quantidade e misturados com outros alimentos de mais fácil aceitação.

Aquecer e alongar

Tudo o que você precisa saber sobre essas atividades que parecem ser mais simples do que realmente são

Corte02

Alongamento e aquecimento são atividades que fazem parte da rotina de quem pratica exercícios físicos regularmente. Mas você sabe bem o que é cada coisa, para que servem e que cuidados devemos ter na execução dessas atividades?

De maneira geral, o alongamento é um tipo de atividade de contração muscular, que gera um estímulo para alongar as fibras musculares. Já o aquecimento é uma forma de aumentar o metabolismo da musculatura a ser utilizada durante a prática esportiva. Ele tende a ser executado de forma progressiva, dentro do mesmo gesto motor da atividade a ser realizada.

Para acabar com as dúvidas, conversamos com o médico do exercício e do esporte, Dr. Gustavo Magliocca, médico da seleção brasileira de natação e do Botafogo Futebol e Regatas.

Quais riscos corremos quando não fazemos alongamento de forma adequada?

O grande risco do alongamento é gerar uma lesão patológica ao músculo, isto é, o estímulo tensional ir além do que o tecido pode suportar, gerando estiramento ou ruptura de fibra muscular.

E para o aquecimento?

No aquecimento, o risco é não fazê-lo de forma progressiva, representando já uma carga excessiva aos músculos sem que haja adaptação suficiente. Essa carga também oferece risco de lesões musculares e das articulações.

Como evitar esses problemas?

O primeiro segredo para evitar tais riscos é fazer os movimentos com atenção e sem pressa de passar para a próxima fase. O aquecimento é obrigatório antes das atividades e faz parte do treino, já o alongamento pode ser feito depois ou até mesmo em um momento separado da atividade.

Pés no chão na hora de correr

Metas exageradas e postura errada podem causar lesões

Pés no chão na hora de correr

Uma hora de corrida moderada pode te ajudar a eliminar até 600 calorias, entretanto, é importante tomar alguns cuidados na hora de optar por essa prática esportiva.

Apesar de oferecer resultados rápidos e muito bons, correr é um exercício que provoca grande impacto nos joelhos e costas. Dessa forma, é fundamental ir com calma e buscar a orientação de um especialista antes de aderir à prática.

Fazer alguns exames antes de iniciar os treinos também é importante. Exames cardiorrespiratórios vão ajudar seu médico a determinar se você está apto para a atividade e avaliar qual a intensidade ideal para o seu treino.

Para evitar lesões, é importante manter uma postura correta durante toda a duração da corrida. As costas devem estar alinhadas e o abdômen levemente contraído. Os braços devem ser mantidos ao lado do corpo, dobrados a 90 graus e com os ombros e punhos relaxados. Por fim, é importante que a cabeça esteja reta e o olhar fixo no horizonte para que o pescoço fique descansado e livre de tensões.

Além disso, o corredor deverá ficar atento à passada, que deve ter amplitude compatível com a sua altura. O pé deve começar a encostar o chão pelo calcanhar e o peso deve ser distribuído por toda a sua extensão até chegar aos dedos para dar o impulso para o passo seguinte. A cada passada, é necessário erguer os joelhos para reforçar o movimento de pêndulo feito pela perna e diminuir o impacto sobre o solo.

Outro cuidado que pode ajudar os praticantes de corrida a evitarem lesões é combinar a rotina aeróbica com exercícios de musculação, principalmente para as pernas e abdômen. O fortalecimento dos músculos dessas áreas ajuda a manter a postura correta e a evitar lesões por conta do excesso de impacto.

Por fim, o corredor deverá estar atento a escolha de roupas e acessórios para o treino. É importante dar preferência a tecidos leves e investir em um bom tênis de corrida que amenizará o impacto nas articulações. Além disso, se o treino for de dia, não se esqueça de caprichar na proteção solar!

5 dicas para você aproveitar a data e parar de fumar já!

Parar de fumar pode ser uma tarefa bem difícil. Pensando nisso, separamos 5 dicas que irão te ajudar nesse processo.

Corte03

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), um fumante apresenta 10 vezes mais chances de desenvolver doenças pulmonares, risco 5 vezes maior de enfartar e o dobro de probabilidade de sofrer um derrame.

Apesar de todos esses dados e da unanimidade que são os riscos que o cigarro oferece à saúde, parar de fumar pode ser uma tarefa muito complicada. Pensando nisso, destacamos algumas dicas do próprio Inca para te ajudar nesse processo.

Parada imediata ou gradual

A primeira opção deve ser sempre a parada imediata, aquela em que você deixa de fumar de uma só vez. Se, por qualquer motivo, isso não for possível, uma alternativa é a parada gradual, em que você reduz progressivamente o número de cigarros fumados em um dia, ou adia cada vez mais o horário do primeiro cigarro.

Caso o fumante opte pela parada gradual, é importante ressaltar que ele não deve demorar mais de duas semanas nesse processo.

Repense sua rotina

Muitos fumantes tendem a associar o cigarro a determinados momentos do dia. Se este for o seu caso, é fundamental quebrar essa relação. Busque novas atividades e planeje-as para os horários em que você costumava fumar. Se você tinha o hábito de fumar depois do almoço, por exemplo, experimente dar uma volta no quarteirão ou conversar com um colega de trabalho nesse mesmo horário.

Cuidado com a alimentação

Ganhar um pouco de peso quando se está parando de fumar é normal – até porque o paladar vai melhorando gradualmente, o que estimula o apetite – porém, é necessário tomar cuidado para que isso não saia do controle. Evite alimentos gordurosos, invista em legumes e verduras e fique longe do açúcar. Também é recomendável evitar bebidas alcóolicas e café, que costumam ser um convite a fumar.

Atividades físicas

Procure fazer caminhadas ou qualquer outro exercício que te agrade. Além de ocupar seu tempo livre com algo saudável, você estará ajudando seu corpo a liberar endorfina, um hormônio que aumenta a sensação de bem-estar e ajuda no controle da ansiedade.

Estresse e vontade de fumar

Os primeiros dias sem cigarro serão, provavelmente, os mais difíceis. Quando você estiver estressado e a vontade de fumar bater, feche os olhos, respire fundo e procure se acalmar. Não é o cigarro que vai resolver seus problemas, muito pelo contrário, ele só trará mais alguns.

Evite o primeiro cigarro

Evitando o primeiro cigarro você evitará todos os outros, portanto, seja forte e procure não ficar parado: converse com um amigo, beba um copo d’água ou escove os dentes. Tire o foco da vontade de fumar e saiba que ela dura apenas alguns minutos.

Desistir da academia depois de três meses. Quem nunca?

Descubra as modalidades perfeitas para quem quer se exercitar longe da malhação.

Corte06

De acordo com pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Academias, aproximadamente 60% das pessoas que se matriculam em academias desistem nos primeiros 45 dias. Segundo o mesmo levantamento, os motivos que levam a isso são os mais diversos, destacando-se como principais a falta de atenção dos professores e a vergonha do próprio corpo.

Diante desses fatores, modalidades alternativas de exercício físico tem se propagado rapidamente. Cada uma delas com características diferentes, mas todas com o mesmo objetivo: fugir do lugar comum e aliar bem-estar com resultados.

Ballet Fitness

Afastada das aulas de ballet clássico por conta de uma lesão do tornozelo, a bailarina Betina Dantas resolveu adaptar alguns movimentos da dança à sua nova rotina para não perder a forma.

Com o passar dos anos, Betina – que além de formada pela Royal Academy of Dance, também é educadora física – foi aperfeiçoando seu método até chegar à fórmula do Ballet Fitness.

Ao combinar passos de ballet clássico com exercícios como agachamentos, abdominais e flexões feitos na barra e no chão, o Ballet Fitness possibilita a queima de até 700 calorias em apenas meia hora de aula.

Em relação ao formato mais tradicional da dança, seu grande diferencial é o aumento do número de repetições dos passos e do tempo de isometria e sustentação muscular dos exercícios, o que tonifica e delineia o corpo, além de trabalhar postura, equilíbrio e consciência corporal.

Para começar a praticar o Ballet Fitness, é recomendável ter uma base mínima de ballet clássico. Uma opção para quem nunca dançou na vida, mas tem interesse no exercício, é fazer ao menos um mês de aula de ballet para iniciantes antes de começar a modalidade fitness.

Crossfit

Foi com o objetivo de combinar a melhor parte de diversos esportes que Greg Glassman criou o Crossfit, um treino que mistura levantamento de peso, movimentos de ginástica olímpica e atividades aeróbicas como correr e pular corda, com uma intensidade típica dos treinos militares norte-americanos.

O resultado dessa fusão é um treino intenso e de resultados rápidos que tem conquistado cada vez mais adeptos. “O que me atraiu no Crossfit foi a filosofia de se desafiar a todo momento e o fato de que, apesar de ter alguns movimentos básicos, o treino nunca é repetitivo”, conta Mário Augusto, 29 anos, que nunca havia conseguido passar mais de dois meses em uma academia convencional, mas que já treina Crossfit há quase um ano.

Para ele, que conseguiu eliminar 20 quilos só com o treino, uma das coisas mais legais do Crossfit é que as academias não possuem espelhos, indicativo de que, muito mais do que a aparência, o objetivo ali é se superar a cada treino.

Os pesos e repetições são adaptados de acordo com o condicionamento físico do praticante, dessa forma, mesmo quem tem uma vida completamente sedentária pode começar a praticar o Crossfit. O segredo é respeitar os limites do próprio corpo e ir progredindo aos poucos.

Zumba

Exercitar-se pode ser uma grande festa. Esta é a proposta por trás da Zumba, dança que nasceu da fusão de vários ritmos latinos como rumba e salsa e que, em pouquíssimo tempo, tornou-se um fenômeno mundial.

Criada pelo colombiano Beto Perez, a Zumba alia movimentos corporais rápidos com músicas alegres que deixam o astral de qualquer um lá em cima, proporcionando condicionamento físico, flexibilidade e a queima de até 1.000 calorias em uma hora de aula.

Atualmente, estima-se que já existam mais de 14 milhões de pessoas em mais de 180 países praticando a modalidade, que conta com turmas especiais para idosos e crianças, além de possuir um formato aquático que mescla a dança com movimentos típicos da hidroginástica.

Para praticar Zumba não é necessário qualquer preparo anterior, apenas vontade de se deixar levar pelo ritmo contagiante da modalidade.